O mundo de Marlboro

Em tempos pós-modernos, nos quais falar de uma masculinidade, no singular, parece descabido, algumas marcas dessa tal masculinidade ainda ecoam insistentemente. Esse é o tema que o espetáculo Lonesome cowboy traz com sua dança. Em uma coreografia enxuta, cenografia eficientíssima e iluminação competente e precisa, esboçam-se belas imagens e metáforas. Cinco bailarinos se confrontam em uma arena, … Continue lendo O mundo de Marlboro

EGO-tik: um exercício de criatividade, rigor e generosidade

Inventividade e rigor. Estas duas qualidades vêm me mobilizando cada vez mais quando aprecio dança. Mais do que pensar em técnica, venho preferindo perceber como cada criador singulariza sua obra e como persegue rigorosamente o que ela solicita. Como coloca o filósofo italiano Luigi Pareyson, em seu Os problemas da estética: “o artista inventa não … Continue lendo EGO-tik: um exercício de criatividade, rigor e generosidade

Um bálsamo cênico para a noite gelada que atravessamos

TIGER BALM - Experimento Cênico, do Coletivo Grupelho, estabelece de largada no título uma inteligente e provocativa ironia ao ter como referência o nome de um potente vasodilatador indicado para dores de várias partes do corpo como também para picadas de mosquito, prometendo um rápido e efetivo alívio. E esse bálsamo que dá nome ao … Continue lendo Um bálsamo cênico para a noite gelada que atravessamos

Ele ( e nós todos e outrxs mais)

A escolha do nome sempre diz muito, costumo repetir. E “Ele”, o primeiro espetáculo solo de Gabriel Matías apresentado no Teatro Renascença é um acerto. Ao generalizar-se num pronome, se empresta a muitas identidades. Afinal, essa figura que adentra em cena visita muitos “eles” que a maturidade artística e técnica conquistada pelo jovem bailarino permite … Continue lendo Ele ( e nós todos e outrxs mais)